As falhas de segurança no Enem, a dramática morte da menina Eloá, e criança lançada da janela pelos pais. Os jovens brasileiros foram definitivamente acordados pra realidade. Se mobilizaram e discutiram o caso do Enem. Se tornaram amigos no Orkut de Eloá, ficaram chocados com o que pessoas más podem causar a crianças e jovens indefesos.
2010. É começo do ano letivo de uma nova década. Tais acontecimentos ligaram o sistema na tomada. A possibilidade de se ingressar numa universidade é real, mas e os jovens das periferias agora o querem mais do que nunca. Sua consciência está aumentada. As formas da periferia ainda permanecem mas as mentalidades são outras.
A demanda pelo ensino médio (que será obrigatório num curtíssimo prazo) será abruptamente aumentada. As linguagens juvenis estão cada vez mais integradas a sociedade, compreendidas pelo mercado. Enquanto a consultoria inglesa PricewaterhouseCoopers declara que nos próximos 15 anos São Paulo será uma das metrópoles mais ricas do mundo (Ver EXAME 957), o Mano Brown sai na Rolling Stone querendo se libertar da imagem que ele ajudou a disseminar.