O Brasil caiu mais uma vez nas quartas nessa última Copa. Decepcionante! Mais uma vez precisamos eleger um “culpado”. O “cara” dessa vez foi o Felipe Melo. E é sempre assim. Em 82 o culpado foi o Toninho Serezo, em 86 foi o Zico, em 90 deve ter sido o Dunga, em 98 foi o Ronaldo e em 2006 foi o Roberto Carlos.

Ensinar geografia para adolescentes é simples assim. Se eles tiram notas baixas a culpa é do professor. Eles dizem: “você me deu Zero!” E quando tiram notas boas eles dizem: “eu tirei 10!”. Adolescentes não encaram com maturidade seus fracassos, precisam colocar a culpa em alguém. Quando perdemos uma Copa agimos do mesmo jeito. E como a Copa mobiliza o Brasil, isso diz muito sobre como nós enxergamos as outras coisas da vida.

Países europeus, os norte-americanos vivenciaram graves tragédias como as duas Guerras Mundiais e aprenderam do pior jeito a encarar com maturidade as coisas. Aprendem com as derrotas e lidam bem com o favoritismo, coisa que o Brasil ainda não sabe. Adoramos o 10 e procuramos um culpado para o 0. Achamos o máximo grandes projetos de modernização e integração nacional, como os PAC’s da vida, e procuramos os culpados pela corrupção e arrocho fiscal.