O brasileiro vota em quem melhor garantir que pior a coisa não fica. É perspectiva que ajuda a transferir votos de Lula pra Dilma. E é razão porque as pessoas taxam o Serra de arrogante quando ele critica mínima e pontualmente alguma vírgula do governo atual. Enquanto os números de Dilma sobem, Serra assiste a batata quente que está em suas mãos crescer cada vez mais.

Preso a uma jaula cognitiva de conceitos políticos, ele sabe que se levantar uma crítica a mais, torna-se arrogante. E se tentar falar bem do governo vira piada porque fere seus “princípios” de oposição. É incrível como as propagandas eleitorais e pesquisas de intenção de voto retratam fielmente a visão conservadora do brasileiro acerca das coisas. Já falei desse conservadorismo na hora de escolher o técnico da seleção brasileira (https://vaivirarmar.wordpress.com/2010/07/31/pais-conservador-e-redes-sociais/).

Quanto a Marina, a quem dedico meu voto, o típico brasileiro a vê como alguém inteligente, porém ainda não compreendeu como ela garante que “pior num fica”. Isso porque suas propostas giram em torno de um reposicionamento para o Brasil.

Não por acaso o medonho “Tiririca”, candidato a deputado, tem seu lema de campanha: “pior num fica, vote em Tiririca”.