Outro dia um amigo me dizia que o engraçado das redes sociais é que você consegue dizer algo para todo mundo e ao mesmo tempo para ninguém. Nada é direcionado nessas redes e basicamente elas são incapazes de eliminar a fome em Dafur ou mesmo convencer os governos a aumentar o salário dos professores. As “causes” do facebook agregam muita gente, mas…

Essas e outras conclusões estão no artigo “Por que a revolução não será Tweetada” publicado na revista New Yorker, por um dos meus autores favoritos, Malcolm Gladwell. No final das contas, ele nos mostra que a receita para o ativismo social de alto risco é a mesma dos tempos revolucionários franceses e outros: laços fortes com outras pessoas, dedicação, disciplina etc.

Confira a entrevista completa aqui.