De um lado da cidade a elite que emula hologramas de sucesso, livre iniciativa e democracia e de outro os pobres e imigrantes que vivem a realidade da globalização sob o estigma de forasteiro debaixo da lei do cão. Eis o paradigma da cidade global bem representado pela Londres atual. Grande centro financeiro que encarece o chão urbano, e expulsa para as periferias a maioria que sustenta a cidade.

O geógrafo Milton Santos previu essa grande contradição citadina onde as elites econômicas e culturais precisam e rechaçam ao mesmo tempo os pobres, os negros e os imigrantes que frequentam seus circuitos cada vez mais exclusivos.

O vídeo abaixo com depoimento de um cidadão londrino, negro, é contundente e ao mesmo tempo um prenúncio de insurreições populares by geraçãoY contra essa tendência global de cidades.