Chávez foi o primeiro político venezuelano que repartiu os lucros do petróleo com o povo. E o auge dessa política foi na época do barril de petróleo valendo 200 dólares. Entretanto, ele não cuidou de tratar a doença do petróleo a qual a Venezuela é vítima. Não considerou a industrialização do país como um investimento vital e de longo prazo.
Antes disso, se preocupou em usar a dependência de petróleo da sociedade venezuelana para alimentar seu projeto de permanência no poder no longo prazo.
O petróleo foi seu escudo para retirar privilégios históricos das elites locais e desafiar, de modo moleque por vezes, os EUA sem sofrer dano.
Mas seria melhor se ele usasse o petróleo como arma para que a soberania da Venezuela fosse sustentada não só pela política externa mas também pela geografia econômica do país.